Repelente de Mosquito e Protector Solar naturais

Repelente de Mosquito e Protector Solar naturais

Uma das questões que mais nos colocam é qual o melhor repelente de mosquitos a levar em viagem e quais os protectores solares menos nocivos para a saúde (já que nós usamos apenas produtos com o menor número de químicos possível).

Por isso, deixamos aqui três sugestões: um repelente para prevenir picadas de mosquitos, dois protectores solares e também produtos pós sol.

São produtos mais naturais, mais benéficos para a nossa saúde e também para a do planeta e dos outros seres vivos.

1 – Repelente de mosquitos

Quando é necessário, usamos um repelente de mosquitos à base de óleos essenciais que se chama Zingala. Encontra-se à venda em várias lojas de produtos naturais, incluindo nas mais conhecidas, por todo o país.

Já experimentamos óleos essenciais, as pulseiras, etc., mas connosco não funcionou (o que não quer dizer que não funcione com outras pessoas). Este repelente de mosquitos é em roll-on, tem um aroma bom e cumpre a sua função.

2 – Protector solar

Os protectores solares estão cheios de ingredientes nocivos para a nossa saúde, como a maioria das pessoas actualmente já sabe. Esse tipo de produto +e mesmo nocivo, quer para nós, quer para o meio ambiente, quer para os outros seres vivos. Até mesmo aqueles que publicitam que são naturais, muitas vezes não é bem assim.

Neste momento não usamos nenhum protector solar, simplesmente evitamos expor-nos ao sol excessivamente, especialmente nas horas em que o sol é mais forte (depende de país para país). Vamos ao mar, claro, mas quando voltamos normalmente vamos para a sombra. No dia-a-dia também evitamos vestir-nos com roupa curta, até porque as viagens que organizamos são para países onde não é habitual usar-se esse tipo de roupa, o que também protege bastante.

Mas para quem não quiser prescindir do protector solar (e faz bem, se passar muito tempo exposto ao sol), há um produto que nos foi recomendado como sendo menos nocivo do que todos os outros no mercado, que é da Odylique (à venda aqui).

Não tem alumínio – que é altamente tóxico e desnecessário para o corpo e está até associado a todas as doenças cerebrais degenerativas como o Alzheimer e o Parkinson -, nem Sodium Hydroxide – também altamente tóxico – e é vegan, tendo cera de candelilla em vez de cera de abelha.

O Óleo de Coco, originário de alguns países para onde fazemos viagens, como a Índia e o Sri Lanka, também é um excelente protector solar (descobri isso há pouco). Deve ser comprado virgem e em frasco de vidro, mas não se deve abusar pois é um produto da moda e a procura começa a fazer com que se torne pouco sustentável.

Por outro lado, há também a hipótese de fazerem o vosso próprio protector solar caseiro, à base de ingredientes naturais. Está é sem dúvida a melhor opção. O Luís Barroso, que nos fez a recomendação do Odylique, dá workshops em Mafra aqui.

3 – Pós-solar e queimaduras

O Gel de Aloé Vera (orgânico, claro) é perfeito para usar como creme pós-solar e maravilhoso em caso de queimaduras. É refrescante, calmante, nutritivo e hidratante. Encontra-se à venda em qualquer loja de produtos naturais e é, sem dúvida, um essencial para levar em viagem.

O Óleo de Coco, com as suas multifunções, também é um óptimo hidratante, assim como o Óleo de Amêndoas Doces e o Óleo de Sésamo (este último bastante mais caro).

Aprender a fazer boas escolha é mesmo importante

Existem imensas alternativas aos produtos convencionais, incluindo para produtos como repelente de insectos e protector solares, com ingredientes naturais, embalagens sustentáveis, etc. Para além de serem mais saudáveis, normalmente são mais ecológicos e mais sustentáveis. E muitas vezes produzidos e comercializados por empresas familiares, o que é sempre importante apoiar.

Mas atenção ao greenwashing que, infelizmente, é uma realidade. Temos de estar cada vez mais atentos. E aprender a ler rótulos e a diminuir o número de produtos que utilizamos, são duas medidas essenciais e eficazes para quem procura ter um estilo de vida mais consciente.

Se estiverem interessados em mais temas deste género, podem consultar também este artigo, onde ensinamos a preparar uma farmácia só com produtos naturais. E explicamos, também, como podem fazer remédios caseiros para os sintomas mais comuns (gripe, diarreia, enjoos, dores de cabeça, etc.).

Deixe uma resposta

Fechar