VIAGEM NEPAL

Impacto Cultural:
8/10
Rítmo da Viagem:
6/10
Nível de Conforto:
5/10

PEREGRINAÇÃO E CONTEMPLAÇÃO

Viagem Budista ao Nepal - 19 Fev. a 3 Mar. 2022

Uma viagem de peregrinação e contemplação no Nepal por alguns dos lugares sagrados do Vale de Catmandu, Pokara e Lumbini – onde Shakyamuni, o Buda Histórico, nasceu.

Esta não é uma viagem turística, é uma oportunidade para estarmos em contacto com os preciosos ensinamentos de Buda e para visitarmos lugares sagrados que têm o poder de nos auxiliar no caminho espiritual. Isto se, tal como Buda ensinou, não nos limitarmos a visitar estes lugares, mas participarmos ativamente orando, contemplando, refletindo, fazendo circum-ambulações e oferendas.

Durante este programa teremos a oportunidade de aprofundar a prática e estudo do Dharma de Buda, explorar lugares sagrados e meditar onde alguns mestres atingiram o conhecimento e iluminação perfeitos.

Vamos ainda estar em contacto com as comunidades monásticas e participar dos seus rituais, conviver com a população local de costumes tradicionais e conectarmo-nos profundamente com a natureza (especialmente com a nossa natureza interior, mais profunda).

PROGRAMA: PEREGRINAÇÃO AO NEPAL

  • Datas: 19 Fev. a 3 Mar. 2022
  • Alojamentos: Guest Houses
  • Refeições: Vegetarianas
  • Lugares Limitados: 8 a 14 participantes
  • Tudo incluído no Nepal:
  • Alojamento 12 noites + 3 refeições vegetarianas diárias + Transportes terrestres + Todas as visitas e atividades do programa + Guia local em algumas actividades + Sessões de Meditação + Acompanhamento por 2 viajantes experientes
  • Não incluído: Voos internacionais para Catmandu (apoiamos na escolha dos voos) + Seguro de Assistência em Viagem (obrigatório) + Visto Consular (35€) + Despesas de carácter pessoal
  • Investimento: 1.990€

Se não quiser gastar mais do que o investimento feito neste programa, durante a estadia no Nepal, não terá necessidade de o fazer.

Esta é uma peregrinação de encontro ao Budismo Tibetano, onde vamos:

  • Fazer circum-ambulações à volta dos três Stupas mais sagrados do Nepal;
  • Receber preciosos ensinamentos, dados por Lamas que vamos encontrando nos diferentes Mosteiros;
  • Visitar as grutas sagradas onde Padmasambhava, o precioso Mestre, esteve em meditação;
  • Testemunhar a morte – uma forma de contemplar a impermanência – num crematório Hindu;
  • Meditar nas grutas onde Tilopa e Naropa meditaram;
  • Fazer uma caminhada introspetiva no meio da natureza até uma Gompa onde vivem algumas monjas isoladas do mundo convencional;
  • Visitar o local onde uma anterior encarnação de Buda deu o seu próprio corpo para alimentar uma família de tigres famintos;
  • Fazer as refeições umas vezes onde os locais e os monges comem (em restaurantes familiares e cantinas de mosteiros), outras vezes em espaços mais sofisticados;
  • Visitar um dos pontos mais bonitos do Nepal, imersos na beleza natural da cordilheira dos himalaias;
  • Fazer caminhadas na natureza;
  • Descobrir o jardim sagrado onde Maya deu à luz Siddhartha;
  • Sair simbolicamente pela porta por onde o Buda Histórico saiu quando renunciou à vida mundana, em busca da resposta para a origem e cessação do sofrimento;
  • Ver todos estes lugares com os olhos de um peregrino;
  • Regressar a casa com motivação renovada para prosseguirmos no caminho do Dharma.

Itinerário

Transfer para o alojamento e check-in na Guest House onde vamos ficar alojados nas próximas quatro noites. Estamos em Boudhanath, numa comunidade Tibetana, um dos locais mais sagrados de Catmandu.

Almoçamos, temos a primeira reunião de grupo e tempo para relaxar um pouco.

Ao final da tarde juntamo-nos às centenas de pessoas que fazem circum-ambulações e orações no Stupa de Boudhanath, como forma de meditação e purificação do karma.

Admiramos o Stupa que domina o horizonte e que ainda parece mais bonito ao anoitecer, iluminado por tantas velas e luzes.

Jantamos e temos o primeiro contacto com a cultura Tibetana, aqui tão presente.

Alojamento: Guest House *** | Horas em viagem: 00:30 (estimativa)

Tendo como base Boudhanath, durante os próximos três dias vamos visitar alguns mosteiros, grutas de meditação e outros lugares sagrados. Temos a oportunidade de participar em pujas e outras cerimónias, num ambiente tradicional. E, sempre que possível, recebemos preciosos ensinamentos dados pelos Lamas com quem nos vamos cruzando.

Aqui, em Boudhanath, existem mais de 50 Gompas (Mosteiros Budistas Tibetanos). Ficamos a conhecer melhor esta zona tão especial, local de peregrinação, onde vivem também tantos refugiados Tibetanos.

Tudo se passa à volta do imponente Stupa onde estivemos ontem, considerado o Templo Budista mais sagrado do mundo fora do Tibete, a própria personificação da mente desperta de Buda.

Diz-se que Guru Padmasambhava renasceu aqui, numa vida anterior, ensinando como seguir o Dharma e espalhando a paz por toda a parte. Este Stupa simboliza a materialização da sabedoria de todos os Budas e contém inúmeras relíquias de mestres do passado.

Durante estes dias em Boudhanath, fazemos algumas refeições em pequenos restaurantes locais ou cantinas de mosteiros, onde saboreamos tanto comida Tibetana, como comida Nepalesa (sempre vegetariana e tradicional). Outras das refeições são em restaurantes mais sofisticados, onde temos outro tipo de experiências. Nos restaurantes pequenos familiares – alguns de aspeto sujo para os nossos padrões ocidentais – e nos Mosteiros serve-se aquela que é para nós as melhores refeições. A comida é simples e caseira, o que é extremamente benéfico para treinar a mente e manter o corpo saudável e pode ser deliciosa.

Começamos o primeiro dia desta viagem com uma sessão de meditação em grupo, tal como na maioria dos dias durante este programa. A seguir ao pequeno-almoço visitamos Swayambhunath, localizado no coração espiritual do Vale de Kathmandu, onde Guru Rinpoche conheceu a sua consorte Newar, Shakyadevi. Swayambhunath é local de peregrinação sagrado tanto para Hindus como para Budistas.

Regressamos a Boudhanath, almoçamos e a seguir fazemos uma caminhada até às grutas de Tilopa e Naropa, onde podemos entrar e sentar durante algum tempo em meditação, absorvendo a energia deste lugar. Aqui, Naropa recebeu treinos e ensinamentos do seu Guru, Tilopa, atingindo o conhecimento e iluminação perfeitos.

As grutas ficam em frente ao sagrado rio Bagmati. Para chegarmos até aqui, tivemos de entrar num complexo Hindu, Património Mundial da Unesco, que vamos de seguida visitar. Não podemos entrar no templo principal (exclusivo a Hindus), mas visitamos os outros pequenos templos, grande parte deles dedicados a Shiva.

Nos Ghats – degraus que levam ao rio -, ardem corpos a céu aberto. Estamos perante um crematório Hindu, onde as famílias assistem à total cremação dos corpos dos seus familiares, que se transformam em cinza em algumas horas. Testemunhamos a morte, uma oportunidade para contemplarmos a impermanência.

Mas estamos também cercados pela vida: há quem lave um saree no rio, os macacos roubam alguma coisa, os cães bebem água do rio, os Sadhus – ascetas Yogis – mendigam e nós estamos no Nepal, numa peregrinação.

Regressamos a pé à nossa Guest House, jantamos e recolhemo-nos.

Alojamento: Guest House *** | Horas em viagem: 02:00 (estimativa)

A seguir ao pequeno-almoço dirigimo-nos a Pharping, cujos tibetanos conhecem por Yangleshö. Visitamos as grutas sagradas onde Padmasambhava, o precioso Mestre, esteve em meditação. Passamos aqui algum tempo a absorver a energia do local.

Diz-se que Guru Rinpoche alcançou aqui um elevado nível de realização. Atualmente, existe um mosteiro junto à gruta principal, onde são feitos os tradicionais retiros de três anos. Para além das grutas, visitamos um pequeno santuário que contém uma representação auto-surgida de Tara.

Depois do almoço, viajamos até Patan onde chegamos a tempo de um passeio a pé por esta cidade peculiar com milhares de viharas. Longe da praça principal, percorremos ruelas e becos e descobrimos a arquitectura do Budismo Newar, tão diferente do que vimos até agora.

Jantamos em casa de uma família Nepalesa, sentados no chão, como tradicionalmente se come na região dos Himalaias. Comemos Dal Bhat, a comida típica do Nepal, composta por arroz, lentilhas (dal) e caris de legumes. Podemos comer com as mãos como é típico. Enquanto saboreamos esta refeição, antes de regressarmos novamente a Boudhanath, ficamos a saber mais sobre esta família, cultura e como vivem. E partilhamos, também nós, como vivemos no nosso país.

Alojamento: Guest House *** | Horas em viagem: 05:00 (estimativa)

Começamos o dia com a habitual sessão de meditação em grupo. Saímos após o pequeno-almoço em direção a um parque natural.

Depois de uma caminhada introspetiva na natureza, só a escutar o silêncio e os sons da vida animal, chegamos a um mosteiro isolado, onde vivem algumas monjas, muitas delas ainda crianças. Aqui viveu durante 33 anos Tulku Urgyen Rinpoche.

Almoçamos na cantina deste Mosteiro com a comunidade monástica, por entre olhares e risos curiosos, simultaneamente envergonhados. A comida é simples (arroz, caril e dal), mas saudável e deliciosa, como costuma ser a comida dos mosteiros.

Passamos algum tempo neste local em contemplação. Observamos os macacos e as estratégias que as Monjas encontraram para conviver com eles. Fazemos uma sessão de meditação no templo. Ao fim do dia, voltamos a descer por entre a natureza, em direção ao “mundo real”.

Jantamos e recolhemo-nos.

Alojamento: Guest House *** | Horas em viagem: 05:00 (estimativa) | Dificuldade caminhada: Fácil

Partimos de manhã cedo para Namo Buddha. Pelo caminho, paramos em Bhaktapur onde almoçamos e visitamos alguns locais sagrados.

Seguimos viagem após o almoço e chegamos à tarde à Guest House onde vamos ficar que fica num Mosteiro. Jantamos com os monges e contemplamos este lugar sagrado.

Alojamento: Guest House *** | Horas em viagem: 05:00 (estimativa)

Após o pequeno-almoço com os monges, visitamos o Stupa que marca o lugar onde se diz que uma anterior encarnação de Buda deu o seu próprio corpo para alimentar uma família de tigres famintos.

Temos algum tempo para praticar meditação, silêncio e contemplação antes do almoço.

À tarde, fazemos uma caminhada por entre plantações e pequenas aldeias, rodeados de colinas verdes, até cidade antiga Newari. Mergulhamos na vida rural tradicional, num museu vivo que nos revela como vivem os Nepaleses desta região.

Regressamos a Namo Buddha para jantar com os monges.

Alojamento: Guest House *** | Horas em viagem: 01:00 (estimativa) | Dificuldade caminhada: Média

Partimos de manhã bem cedo para Pokara, onde chegamos ao final do dia. Este dia é passado em viagem até a uma das zonas mais bonitas do Nepal.

Alojamento: Guest House *** | Horas em viagem: 8:00 (estimativa)

Depois da habitual sessão de meditação em grupo e do pequeno-almoço, admiramos o local onde estamos: é um dos mais bonitos do Nepal, estamos rodeados de natureza e de montanhas.

De manhã fazemos um passeio de barco num lago até à base de um Stupa erguido em nome da Paz Mundial. Caminhamos cerca de 1 hora até ao topo, onde a vista para a cordilheira de Annapurna é magnifica.  

À tarde visitamos um Mosteiro e, se for possível, participamos nos rituais e recebemos ensinamentos.

Jantamos e recolhemo-nos.

Alojamento: Guest House *** | Horas em viagem: 1:00 (estimativa)

Dificuldade caminhada: Fácil

Hoje o dia é passado em viagem, vamos até Lumbini.

Siddhartha nasceu aqui, em Lumbini, no seio de uma família real no estado de Shakya, que hoje fica no Nepal, mas na altura ficava na Índia. Até à sua renúncia, aos 29 anos, foi aqui que viveu.

Chegamos ao final do dia à Guest House onde vamos ficar a tempo de jantar.

Alojamento: Guest House *** | Horas em viagem: 8:00 (estimativa)

Vamos passar dois dias em Lumbini e visitar vários lugares associados à vida e família de Siddharta.

Visitamos o Jardim Sagrado onde se diz que Maya teve Siddhartha, quando se dirigia para a sua terra natal, onde era tradição as mulheres darem à luz o primeiro filho. Hoje em dia existem aqui muitos templos de diferentes tradições que, dada a importância deste lugar, foram sendo construídos ao longo dos tempos.

Almoçamos numa HomeStay, numa aldeia próxima, e, a seguir, descobrimos as ruínas do Palácio onde Siddhartha viveu até aos 29 anos com a sua família. Simbolicamente, saímos pela porta por onde ele também saiu quando renunciou à vida mundana, em busca da resposta para a origem e cessação do sofrimento.

Vamos ao lugar onde Buda, depois de se iluminar, esteve durante cerca de três meses, com mais de 300 seguidores. Esta foi a sua primeira visita à família, desde a Grande Renúncia.

Para além de meditarmos de manhã, em grupo, podemos utilizar o templo do Mosteiro onde estamos alojados para práticas pessoais antes de nos recolhermos.

Ficamos em Lumbini duas noites.

Alojamento: Guest House de Mosteiro | Horas em viagem: 03:00 (estimativa)

Deixamos para trás Lumbini e regressamos a Boudhanath, onde chegamos à noite.

Ficamos na Guest House que já conhecemos.

Alojamento: Guest House *** | Horas em viagem: 10:00 (estimativa)

Dificuldade caminhada: Elevada

Temos a última sessão de meditação em grupo. Almoçamos juntos pela última vez no Nepal e, depois de algum tempo livre para os últimos passeios e compras, damos por terminado este programa.

Diz-se que se acumula incontáveis méritos por se visitar os três Stupas de Swayambhunath, Boudha e Namo Buddha que visitamos durante esta peregrinação.

Partimos com a motivação renovada para prosseguirmos o caminho do Dharma, depois de uma viagem intensa e potencialmente significativa.

Horas em viagem: 00:30 (estimativa)

política de entrada no nepal covid-19

Viajantes portugueses com vacinação COVID-19 completa:

  • Passaporte: com no mínimo 6 meses de validade e 2 páginas em branco;
  • Visto: existe a hipótese de e-Visa à chegada, mas recomendamos que tire o Visto de Turismo no Consultado do Nepal em Lisboa – um processo simples e imediato com o custo de 35€;
  • Vacinação completa COVID-19: deve apresentar o certificado de vacinação original em inglês (válido 14 dias após a última dose);
  • Teste COVID-19 negativo: à chegada deve ser portador de um teste em inglês (RT-PCR, Gene Expert, True Naat ou outro acreditado pela OMS), feito no máximo 72 horas antes do embarque;
  • Seguro de Assistência em Viagem: recomendamos o Plano Mochileiro da IATI Seguros ou um seguro equivalente com cobertura COVID-19;
  • Formulário: deve preencher o Internacional Travel Online Arrival Form;
  • Documentação: enviada por nós.

Damos apoio para que tenha toda a documentação necessária em ordem.

Viajantes não vacinados ou com vacinação incompleta e/ou de outras nacionalidades:  consulte-nos para mais informações.

Notas

  1. Este programa está sujeito a alterações, dependendo de condicionantes relacionadas com factos alheios à organização, não perdendo no entanto nunca a sua essência.
  2. Devido à pandemia COVID-19, certas actividades (como a visita a alguns mosteiros) poderão ficar condicionadas, quando for esse o caso, serão substituídas por outras actividades / mosteiros.
  3. Esta viagem será acompanhada por Diana Chiu Baptista e Igor Chiu Soares. Caso por motivos de força maior não possam acompanhar o grupo, serão substituídos por outros líderes de viagem, com características e valores equivalentes, que cumprirão as funções previstas, mantendo-se o programa de viagem.
  4. Todas as atividades mencionadas estão incluídas no programa, assim como os transportes para as mesmas.
  5. As roupas utilizadas, em todos os locais onde vamos estar, assim como a conduta de cada viajante, devem respeitar os costumes e a cultura local.
  6. Somos uma empresa comprometida com uma politica de Turismo Sustentável, assim pedimos que seja um viajante consciente, que leia as nossas recomendações (aqui) e que siga as sugestões relacionadas com sustentabilidade que serão dadas antes e durante esta viagem.
  7. As viagens que organizamos são exclusivamente vegetarianas. Quando as refeições são feitas em sistema buffet, por vezes existem opções não vegetarianas que não são para o nosso grupo. Quando isso acontecer, pedimos que respeite o cariz vegetariano da viagem e que opte apenas por alimentos que não incluam nem carne, nem peixe.

Tem dúvidas?

FALE CONNOSCO