Farmácia Natural em viagem: os 10 essenciais

Farmácia Natural em viagem: os 10 essenciais

Quando viajamos, levamos connosco uma pequena farmácia, tal como tantos outros viajantes. Só que, em vez dos produtos convencionais à base de químicos, na nossa farmácia só existem produtos naturais.

Se em casa usamos sempre remédios caseiros à base de produtos naturais, em viagem não fazia sentido ser de outra forma. Por isso, levamos connosco alguns produtos usados na Macrobiótica para tratar aquelas complicações de saúde que são mais frequentes em viagem (diarreia, prisão de ventre, enjoos, constipações e gripes, febre, dores musculares, dores de cabeça, etc.).

Na nossa farmácia não levamos todos os frascos originais dos produtos – se não, seria um volume e peso muito grandes. Optamos, antes, por colocar uma pequena porção de cada produto em frascos de transporte de produtos de viagem. A seguir, arrumamos tudo dentro de uma lancheira térmica, para preservar melhor do calor e humidade.

Neste artigo, partilhamos a lista dos produtos naturais que habitualmente levamos na nossa farmácia natural e ainda algumas receitas muito úteis de remédios caseiros.

Farmácia natural e receitas caseiras:

1 – Ume Plum Balls

São umas bolinhas de ameixa Umeboshi, óptimas para tomar, quer antes da viagem, quer durante, para fortalecer o sistema imunitário. Andam sempre connosco, vamos tomando algumas todos os dias. São muito práticas para levar em viagem (vêm numa pequena caixa, que só peca por ser de plástico, mas duram bastante, têm muitas unidades), dissolvem-se na boca e alcalinizam o sangue.

2 – Ameixa Umeboshi

Para além das Plum Balls, levamos sempre algumas ameixas Umeboshi na nossa farmácia natural. Os japoneses consideram que estas ameixas fermentadas, ácidas e salgadas, conservadas em sal e folhas de shiro, muito ricas em ácido cítrico, ferro e vitamina C, têm o poder de fortalecer o organismo, reforçar a imunidade, neutralizar a acidez e melhorar o fluxo de energia Ki e do sangue, fortalecer os intestinos e aliviar a fadiga.

Com estas ameixas é possível preparar diferentes remédios caseiros, que podem ser verdadeiros antibióticos naturais, para o sistema digestivo, enjoos, gripe, obstipação, náuseas, dores de cabeça, etc.

  • Ume Sho-Kuzu: 
    • Ingredientes: 1 colher de chá cheia de kuzu + 1 ameixa umeboshi + 1 colher de chá de shoyu + 1 chávena de chá de água filtrada.
    • Preparação: Dissolver uma colher de chá de kuzu em 2 a 3 colheres de sopa de água fria. Adicionar a restante água fria. Levar ao lume em chama baixa, mexendo suavemente, até que a solução fique transparente, cerca de 3 a 4 minutos. Adicionar a polpa de 1 ameixa umeboshi previamente desfeita e reduzir o lume para o mínimo. Juntar 1 colher de chá de shoyu e mexer. Cozinhar, em chama baixa, entre 1 a 2 minutos. Beber quente.
    • Indicações: obstipação, diarreia, digestões difíceis, problemas de estômago, alergias, dor de cabeça frontal, insónia,…
  • Ume-Sho-Bancha:
    • Ingredientes: 1 chávena de chá de 3 anos + 1 ameixa umeboshi + 1 colher de chá de shoyu.
    • Preparação: colocar 1 umeboshi numa chávena, juntar 1/2 a 1 colher de chá de shoyu e verter sobre estes chá de 3 anos acabado de ferver. Mexer bem e beber quente.
    • Indicações: Fortalece o sangue, activa a circulação sanguínea, regula a digestão e é revigorante. Bom para distúrbios digestivos de um modo geral, obstipação, diarreia, fadiga, desmaio, dor de cabeça, etc
  • Chá de Ameixa Umeboshi:
    • Ingredientes: 1 ameixa umeboshi ou 3 a 4 caroços de ameixa umeboshi + 1 litro de água filtrada.
    • Preparação: Ferver em lume brando durante 15 minutos. Beber quente.
    • Indicações: Ajuda a recuperar sais minerais perdidos pela transpiração.

3 – Kukicha (chá de 3 anos)

Este chá tem inúmeros efeitos medicinais e é bom para beber no dia-a-dia, já que não tem cafeína. É rico em cálcio, vitamina A e C e contribui para a alcalinização do plasma sanguíneo. É óptimo na preparação de alguns remédios caseiros (como os a cima, com ameixa umeboshi), mas também para gargarejar no caso de inflamações da garganta e para limpar os olhos no caso de conjuntivite ou outras inflamações oculares.

Para além disso, contribui para uma boa digestão, alivia o cansaço, cólicas abdominais e todo o tipo de problemas urinários. O ideal é levar na farmácia a versão em “pauzinhos”, mas levar em ‘saquetas’ também pode ser útil, já que muitas vezes não temos acesso à cozinha, apenas a água quente.

  • Chá de 3 anos simples:
    • Ingredientes: 1 a 2 colheres de sopa de pauzinhos deste chá + 1 litro de água filtrada
    • Preparação: levar ao lume até ferver, baixar o lume para o mínimo e deixar fervilhar durante 5 minutos. Coar e beber quente. Os pauzinhos podem ser reaproveitados mais uma vez.
  • Bancha com sal marinho:
    • Ingredientes: 1 chávena de chá de 3 anos + 1 colher de sal marinho
    • Preparação: Adicionar o sal marinho à chávena de chá de 3 anos.
    • Indicações: Usar morno para limpar os olhos em caso de estarem congestionados ou para gargarejar em caso de inflamações da garganta.
  • Bancha com shoyu:
    • Ingredientes: 1 colher de chá de shoyu + 1 chávena de chá de 3 anos
    • Preparação: colocar o shoyu numa chávena de chá de 3 anos.
    • Indicações: para dores menstruais ou abdominais e digestões difíceis.

4 – Kuzu

É um pó branco de uma raiz japonesa com muitas qualidades e propriedades benéficas. Tem um efeito neutralizante, regula a temperatura corporal, regula o metabolismo e aumenta a vitalidade. É muito eficaz em casos de diarreia e ajuda também na diminuição da febre. Pode ser usado em conjunto com a ameixa umeboshi (receita a cima), com shoyu ou simples. Nunca falta na nossa farmácia natural, nem em casa, nem em viagem.

  • Bebida de Kuzu:
    • Ingredientes: 1 colher de chá de kuzu + 1 chávena de água filtrada.
    • Preparação: Dissolver o kuzu em 2 ou 3 colheres de chá de água fria e mexer. Juntar a restante água e levar ao lume em lume médio. Mexer sempre até que o líquido fique transparente.
  • Creme de Kuzu:
    • Ingredientes: 1 colher de sopa de kuzu + 1 colher de chá de shoyu + 1 chávena de água filtrada.
    • Preparação: Dissolver o kuzu em 2 ou 3 colheres de chá de água fria e mexer. Juntar a restante água e levar ao lume em lume médio. Mexer sempre até que o líquido fique transparente. Apagar o lume e adicionar uma colher de chá de shoyu. Beber quente.

5 – Sal Marinho

O Sal Marinho serve para a preparação da bancha ou água com sal marinho, para gargarejar. É bom também para fazer um escalda pés depois de muitas horas a andar a pé, em casos de pouca circulação sanguínea, de gripe, acumulação de toxinas no corpo, etc. Ao escalda pés, para além do sal, pode também adicionar-se gengibre ou outras plantas terapêuticas. Nós costumamos levar um pouco de sal, mas se precisarmos de mais, adquirimos no país de destino (normalmente está facilmente disponível em qualquer lado).

6 – Shoyu

É um molho de soja japonês bastante salgado. Serve para usar na preparação de alguns dos remédios caseiros referidos neste artigo. Nós levamos sempre uma pequena quantidade na nossa farmácia, já que o que se encontra à venda na maioria dos países para onde viajamos, não é de boa qualidade.

7 – Óleo de Sésamo

Muito excelente para usar em queimaduras e para hidratar. É anti-bacteriano e anti-inflamatório. Também pode ser usado para eliminação de fezes estagnadas (tomar 1 a 2 colheres de sopa de óleo de sésamo com o estômago vazio). Tal como o Shoyu, levamos na nossa farmácia de viagem uma pequena quantidade.

8 – Hifader

É um produto anti-septico, recomendado para combater microrganismos, como fungos, bactérias e vírus. Pode ser aplicado internamente ou externamente (em feridas, cabelo, pele, unhas, mucosa oral ou vaginal, etc.).

9 – Propólis em gotas sem álcool (não é vegan)

Como antibiótico em caso de gripe.

10 – Pomada Arnica

Anti-inflamatório, antiséptico e cicatrizante. Excelente para dores, luxações e contusões.

Outras recomendações:

É importante referir que todos estes produtos devem ser biológicos (afinal, estamos a optar por não usar químicos, não faz sentido comprar produtos que não sejam orgânicos).

Para além destes produtos e ingredientes, muitas vezes levamos também Arroz Integral, para fazermos creme de arroz ou água de arroz, em caso de doença. Ultimamente não temos levado, mas, se necessário, compramos arroz integral ou vermelho e pedimos que nos façam a água (na Índia por exemplo é muito usada como remédio natural e no Ashram da Amma, para onde temos este programa de viagem, há sempre disponível ao pequeno-almoço). A água de arroz tem o poder de hidratar, limpar, equilibrar os intestinos (quer para prisão de ventre, quer para diarreia) e de fortalecer o organismo.

Caderno “Remédios Caseiros” de Francisco Varatojo (à venda aqui) – anda sempre connosco, é aqui onde vamos buscar estas receitas que são as que usamos de forma natural, quer em casa, quer em viagem, para podermos consultar sempre que estamos doentes ou mais fragilizados. É um caderno pequeno, fácil de transportar, mesmo muito útil.

Se gostaram deste artigo, podem seguir a categoria Saúde Natural para terem acesso a mais artigos sobre este tipo de temas.

Deixe uma resposta